Intituição

Parque Dom Bosco

Os salesianos chegaram a Itajaí em 1956, quando o então pequeno município vivia uma situação precária, pois não existia um número de empregos suficiente para toda a população. Desse modo, os habitantes se disponibilizavam para auxiliar nas tarefas do porto, que até então estava praticamente paralisado devido aos investimentos nos transportes rodoviários.

Sem acesso a emprego e conseqüentemente com más condições financeiras, não havia possibilidades de se investir na educação dos jovens. Foi neste cenário que muitos adentraram ao vício, à prostituição e à criminalidade.

Foi neste difícil contexto que o Oratório Festivo foi implantado, no dia 25 de março de 1961, como tentativa de resgate dos jovens afetados pela situação socioeconômica da cidade.

No Bairro Nossa Senhora das Graças, os salesianos receberam a doação de um terreno, apesar de não ser o local ideal para o ginásio, que acabou construído a leste da cidade. O local foi ocupado de forma irregular por famílias advindas de outras regiões. Ali se proliferou a criminalidade, já que o terreno possuía muitas depressões.

Enquanto isso o Oratório foi desenvolvido, com o apoio do irmão Aquilino Minella, que cedia seu tempo com trabalhos de terraplanagem para a construção de campos de futebol para os jovens. Apesar das dificuldades o esforço trazia muitos frutos, era perceptível o aumento do número de integrantes do Oratório, que funcionava apenas nos sábados e domingos.  Era um ambiente simples, praticamente o único lazer dos meninos e meninas da comunidade.

Para angariar fundos o Oratório Festivo promovia festas, geralmente juninas,  com destaque para a Festa de São Pedro. Todos os recursos eram investimentos para construção de um galpão coberto.

Em 15 de junho de 1963, o Jornal do Povo noticiou sobre o 'Parque dos Jovens de Itajaí'. Desde então, a obra, sob o nome de Parque Dom Bosco cresceu e se desenvolveu no que se refere à assistência social, com merenda escolar, assistência educacional, assistência profissional, educação física, praça e parque de esportes, programas artísticos, orientação familiar e social, biblioteca, serviço de pronto-socorro, escola de canto, dentre outras atividades.

O diretor do Oratório Padre Pedro Baron também foi um auxílio imprescindível para o desenvolvimento da obra, pois além de destinar vários salesianos para a mesma, também despertou o interesse da comunidade pelo projeto, demonstrando sua importância.

A divulgação do projeto pelo Padre Pedro Baron, chamou-se a atenção do Rotary Clube de Itajaí e, logo após isso, o parque também começa a receber auxílios do Serviço Social da Indústria (SESI) e da Legião Brasileira de Assistência (LBA).

Em 1974 o Parque entra numa etapa maior, e disponibiliza cursos profissionalizantes, faz então convênios com órgãos governamentais. Com esta atitude, aumenta a procura pelo parque tanto de crianças como dos jovens. Com isso, aumenta-se a estrutura, com a construção de novas alas para atender à demanda.

É importante ressaltar que mesmo com a dedicação ao atendimento dos jovens com relação aos esportes, lazer e atividades profissionalizantes, a educação cristã foi sempre um aspecto relevante.

O tempo passou, o Parque Dom Bosco ganhou prestígio e respeito, tornando-se uma obra imprescindível para a população de Itajaí.  Atualmente, o Parque tem como principal público freqüentador a comunidade do Bairro Nossa Senhora da Graças, e é uma obra salesiana de Promoção Humana e Assistência Social que tem beneficiado muitas famílias e jovens.

 Fonte: parquedombosco.org/viewpage.php?chave=historico

Endrereço: Rua Brusque, 1333
Centro, Itajaí
Telefone: (47) 3344-9100


Fotos

Voltar Contato
*
 
 
*
Fone:  
 
  Fax:  
 
*

*

newsletter

Cadastre-se e receba em seu email nossas novidades

rede social

Canal para você acompanhar, seguir e interagir.

nossos horários

Segunda a sexta-feira
das 8h às 12h e
das 13h30 às 18h
Sábados das 9h às 12h.